Planeamento em Saúde

O Planeamento em Saúde consiste na "... racionalização na utilização de recursos escassos com vista a atingir os objectivos fixados, em ordem à redução dos problemas de saúde considerados como prioritários, e implicando a coordenação de esforços provenientes dos vários sectores sócio económicos...".
(Imperatori e Giraldes, 1982)

E porquê planear?... Essencialmente, por seis tipos de razões:

  • Porque os recursos são cada vez mais escassos e é necessário utilizá-los da maneira mais eficaz e mais eficiente;
  • Porque é necessário intervir nas causas dos problemas;
  • Porque é necessário basear cada vez mais as decisões de intervenção e as diversas intervenções projectadas, na evidência que, a cada momento, for possível recolher;
  • Porque é necessário ter instrumentos que permitam definir, de um modo dinâmico, quais as principais prioridades de intervenção;
  • Porque é necessário evitar intervenções isoladas e implementar abordagens integradas que utilizem e potenciem as sinergias existentes;
  • Porque é necessário utilizar e adequar os Serviços e os seus recursos de modo a poderem responder, atempada e adequadamente, aos principais problemas e necessidades de saúde que forem identificados.

Ao visitar as páginas relativas ao Planeamento em Saúde, poderá encontrar vários documentos e ferramentas de actualização regular, quer de diagnóstico, quer de monitorização do estado de saúde da(s) população(ões) da região Norte, bem como o Plano Regional de Saúde (este último, ainda em construção).

Queremos aproximar a informação sobre a saúde e os seus determinantes, da tomada de decisão pessoal, política e institucional sobre saúde, na região!

 

Voltar
 
pesquisa avançada >
ARS Norte I.P. > Saúde Pública > Planeamento em Saúde